Relatividade

silhueta humana
Teu lado avesso
é a sombra enviesada 
acostada ao lado que mais prezas.
E esse reverso
- a superfície rugosa onde a luz não entra -
é pensamento sombrio e recurvado
provido de uma costura frágil
que alinhavas quando te voltas de costas.
Retiro então de ti o meu esforço	
e os meus braços caem confusos
num deserto de dunas com ideias finas.

Tudo é provisório, então,
e o mistério do amor fica viciado: 
somos crianças a brincar a um jogo sério.
Surge à superfície o pó que emerge com o tempo; 
é a secura porosa que nos descama a pele
e cobre de líquenes o muro que desampara a sombra.
O corpo arde
e procuramos nos sentidos a mordida do lacrau.
Só no sossego da noite
( quando os planetas se movem )
nossos corpos enxaguados
descobrem a teoria da relatividade.

Foto de Spencer Selover no Pexels

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.