Anjos da guarda

Imagem de anjos
Sacudi do poleiro o anjo da guarda que não me guardou 
e atalhei pelo caminho das giestas. 
Demarquei com precisão os limites do abismo:
desci os degraus de ferro que me levaram à escuridão da cave 
e subi pelo pé do feijão até tocar com a ponta dos dedos 
o algodão doce das nuvens.

Atravessei a nado o deserto que nos separava
e sucumbi de sede num mar de rochas salgadas.
Tu estiveste em ambos os lugares 
e reconheci-te logo que cheguei: 
eras a sombra refletida na luz parda
e eu, a menina de franja encostada à parede.

No meu ombro, sobranceiro
outro anjo da guarda se empoleirou
e me disse baixinho (entre esgares e sorrisos)
que eras tu o diabo escolhido.

De olhos ainda mal abertos 
rocei as mãos pelas tuas brasas
e atenta ao som dos guizos
passei a dar mais atenção aos detalhes.

Photo by adrianna geo on Unsplash

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.